(11) 4024.2984

Alunos do Colégio Monteiro Lobato são premiados na 4ª edição do “Festival de Curtas”

Premiação marcou a conclusão dos trabalhos desenvolvidos ao longo dos últimos meses pelo Ensino Médio

Uma noite de muita emoção e celebração: assim pode ser definida a cerimônia de premiação da 4ª edição do FEC – Festival Estudantil de Curtas do Colégio Integrado Monteiro Lobato, realizada no último sábado (23). O evento reuniu alunos, famílias parceiras e convidados, que lotaram o ginásio do “Monteiro”, mesmo com as fortes chuvas que caíram em Itu.

Foto: Daniela Noronha

Na edição de 2019, o FEC premiou, em quatorze categorias, os curtas-metragens produzidos pelos alunos do Ensino Médio sobre o tema “Se a história fosse nossa”. Orientados pelos professores de Português e História, Claire Quirino e Marcelo Leite, os estudantes desenvolveram as produções audiovisuais a partir de reflexões sobre a temática central, além da elaboração de caderno de pesquisa e entrevistas.

Foto: Daniela Noronha

Após meses de produção, os curtas foram avaliados por uma banca de jurados técnicos, incluindo: a historiadora Ariane Santos Silva; a professora doutora em Linguística Cássia Vanessa Batalha; o doutor em História Marcelo Paiva; a professora doutora e coordenadora da Olimpíada Nacional em História do Brasil Alessandra Pedro; o mestre em ensino de História e Cinema Rafael Monteiro; o bibliotecário do Centro de Estudos do Museu Republicano José Ricardo Galvão; e a radialista e ex-aluna do “Monteiro” Camila Lourenço.

Foto: Daniela Noronha

Confira a relação completa de trabalhos indicados e premiados em cada categoria:

* TEMÁTICA CRÍTICA

– “Fome de quê?”
– “Da cor do matriarcado” (Vencedor)
– “Trabalhadores, a invisibilidade urbana”

* TRILHA MUSICAL

– “O canto da seresta” (Vencedor)
– “Trabalhadores, a invisibilidade urbana”
– “Da cor do matriarcado”

* ARGUMENTO ORIGINAL

– “Trabalhadores, a invisibilidade urbana”
– “Marcados” (Vencedor)
– “Fome de quê?”

* SUPERAÇÃO

– “Imigração italiana” (Vencedor)

* EDIÇÃO

– “Fome de quê?” (Vencedor)
– “Educação feminina”
– “Trabalhadores, a invisibilidade urbana”

* REPRESENTAÇÃO POÉTICA

– “Fome de quê?” (Vencedor)
– “Profanamente sagrado”
– “Educação feminina”

* AUTORIA

– “Os esquecidos da História” (Vencedor)
– “Fome de quê?”
– “A voz da raça: UNEI”

* DO LIMÃO À LIMONADA

– “Imigração japonesa no Estado de São Paulo” (Vencedor)

* TEMPO PRESENTE

– “Profanamente sagrado” (Vencedor)
– “Trabalhadores, a invisibilidade urbana”
– “Da cor do matriarcado”

* HISTÓRIAS DE VIDA

– “I tu, do que te lembras?”
– “Os esquecidos da História”
– “Tecendo a vida” (Vencedor)

* HISTÓRIA NÃO CONTADA

– “Marcados”
– “Trabalhadores, a invisibilidade urbana” (Vencedor)
– “Tecendo a vida”

* QUEM TEM BOCA VAI A ROMA”

– “I tu, do que te lembras” (Vencedor)

* IDENTIDADES

– “Imigração italiana”
– “A voz da raça: UNEI” (Vencedor)
– “I tu, do que te lembras?”

* CURADORIA DE IMAGENS

– “Escravidão de imagens”
– “Imigração italiana”
– “Educação feminina” (Vencedor)

* FOTOGRAFIA

– “Marcados”
– “Da cor do matriarcado”
– “Fome de quê?” (Vencedor)

* TRAJETÓRIA

– “Tecendo a vida” (Vencedor)

* NARRAÇÃO

– “Os esquecidos da História”
– “Escravidão em Itu” (Vencedor)
– “Fome de quê?”

* CONCEPÇÃO ARTÍSTICA

– “Da cor do matriarcado” (Vencedor)
– “Trabalhadores, a invisibilidade urbana”
– “Fome de quê?”

* PRODUÇÃO

– “Marcados” (Vencedor)

* NOBEL DE PESQUISA

– “Tecendo a vida”
– “Fome de quê?” (Vencedor)
– “Trabalhadores, a invisibilidade urbana”

* CURTA DO ANO

– “Trabalhadores, a invisibilidade urbana” (Vencedor)
– “Fome de quê?” (Vencedor)
– “Da cor do matriarcado” (Vencedor)

Projeto premiado – Idealizado pelos professores Claire e Marcelo como uma alternativa aos métodos de avaliação tradicionais, a fim de estimular a reflexão crítica dos alunos sobre temas cotidianos, o Festival Estudantil de Curtas do “Monteiro” chegou à 4ª edição com o título de melhor prática docente de Arte e Cultura do Sistema de Ensino Poliedro em todo o Brasil.

Foto: Daniela Noronha

“Há histórias e personagens que são emoldurados; e outros que ainda não. O risco de não emoldurarmos histórias distintas é o esquecimento. E o esquecimento é a doença que nos impede de sabermos quem somos. Por isso, este foi o desafio proposto por mim e por Claire a nossos alunos nesta edição: combater o esquecimento”, destaca professor Marcelo.

Foto: Daniela Noronha

“Após quatro anos, temos a certeza de que estamos no caminho certo. Sabemos disso porque a evolução de nossos alunos é evidente, não só na produção escrita e no domínio do audiovisual, como também do desenvolvimento de habilidades como a convivência e de valores como o respeito e a empatia”, ressalta professora Claire.

Foto: Daniela Noronha

Além das premiações, a noite foi abrilhantada pelas apresentações musicais de Célia Tretel, Toiti Aminia, Alaerte Mazeti e Camila Luiza.

Foto: Daniela Noronha

Todas as produções deste ano podem ser assistidas AQUI. As fotos da noite de premiação, registradas pela fotógrafa Daniela Noronha, podem ser conferidas na galeria abaixo e também na página do “Monteiro” no Facebook.