(11) 4024.2984

Alunos do Colégio Monteiro Lobato resgatam momentos marcantes da vida com “cápsula do tempo”

Em projeto desenvolvido nas aulas de Português, estudantes escrevem cartas para o EU do futuro

“De que são feitos os dias? De pequenos desejos, vagarosas saudades, silenciosas lembranças”, é com a frase da escritora Cecília Meireles que a professora Cássia Batalha, de Oficina de Comunicação, resume a inspiração para o projeto “Cápsula do Tempo”, desenvolvido desde 2013 no Colégio Integrado Monteiro Lobato, de Itu (SP).

O ponto de partida do projeto é uma oficina de escrita de carta, ocasião em que os alunos leem textos de diferentes autores e discutem, inclusive, a eficiência dessa ferramenta de comunicação diante do cenário tecnológico contemporâneo. Na sequência, eles escrevem cartas contando lembranças importantes de suas vidas, sem serem avaliados por isso, sabendo que elas serão abertas apenas na conclusão do 9º ano do Ensino Fundamental. Por fim, as cartas são enterradas em um canteiro criado especialmente para o projeto, próximo às salas de aula, justamente para que os estudantes possam conviver com o espaço. “A ideia é construir afetividades em momentos de escrita, sem traumas e medos”, destaca a professora Cássia.

“Os pequenos enterram cartas para um amigo conhecido – e ao mesmo tempo distante -, que os visitarão num horizonte próspero: o EU do futuro. Um canteiro especial abriga, por pelo menos quatro anos, todos esses enredos. E a nós cabe esperar, ansiosos, por suas leituras”, observa a educadora. “A escrita possibilita guardar momentos singulares, impressões temperadas e histórias inestimáveis. O intuito é que eles percebam de forma mais intimista e sensível o poder que as palavras têm em nossas vidas”.

Reações diversas – Quatro anos após escreverem as cartas, é chegado o momento de retomar o contato com os sonhos e expectativas do passado. Segundo a professora, as reações costumam ser muito diferentes. Alguns alunos querem ler as cartas publicamente. Outros não. Sinto que muitos deles se surpreendem pelas lembranças”, observa. “Sempre pergunto se eles decepcionaram o EU do futuro. Normalmente, eles riem e dizem que notam como o tempo os afeta. É um momento mágico toda vez”.

Para a professora Cassia, compartilhar essa fase de descobertas com os alunos consiste em uma oportunidade singular, inclusive para dar novos sentidos aos vínculos criados em sala de aula. “Fico absolutamente grata por dividir vivências como estas com meus companheiros. É um modo especial de me despedir deles. Dizer que fechamos um ciclo importante em nossa convivência”, conclui.